O que são vendas online e como vender pela internet?

Postado por equipe mageshop, 06-10-2022 - 04:05

O que são vendas online e como vender pela internet?

O comércio eletrônico, ou e-commerce, é a modalidade de vendas que mais cresce hoje. Vários fatores explicam a expansão do comércio pela internet. O principal deles está nos novos hábitos de compra dos consumidores. Mesmo antes da crise sanitária mundial, a tendência do e-commerce foi de crescimento. Mas durante ela, as vendas pela internet aumentaram de forma exponencial. Por causa do isolamento social, pessoas que nunca sequer imaginaram comprar pela internet, ou não confiavam nesse tipo de negociação, não viram outra opção a não ser adquirir produtos online. Segundo estudo da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABCmm), o comércio eletrônico cresceu 56,8% em 2020, o que representa um total de R$ 41,9 bilhões movimentados. Assim, apostar nas vendas on-line é uma decisão acertada. Mas o que é exatamente o e-commerce? Como vender pela internet? Continue neste artigo para ficar por dentro!

1

O que são as vendas on-line?

 

É o comércio praticado pelas lojas virtuais, estabelecimentos eletrônicos que fazem a mesma coisa que os comércios físicos, só que de forma mais rápida, para mais consumidores, sem restrição de localidade e horário.

O conceito de comércio pela internet surgiu em 1994. Um grupo de cientistas da computação desenvolveu um sistema de transações com cartão de crédito para web que funcionou bem, na prática. O que usamos hoje é uma evolução dele.E deu tão certo que hoje, são feitas milhões de compras todos os dias.

Não devemos confundir e-commerce com loja virtual. O primeiro se refere à prática de vender pela internet, enquanto loja virtual é o ambiente eletrônico onde ele acontece.

Mas as lojas virtuais não são o único meio pelo qual se pratica o comércio. Outra maneira muito popular são os marketplaces. É possível comparar os marketplaces com shoppings centers físicos. É uma plataforma que reúne os produtos de muitos comerciantes virtuais diferentes, e ficam expostos todos em um mesmo ambiente, à livre escolha do consumidor.

Mas e-commerce não é tudo igual. Existem diferentes categorias. É isso o que você vai conferir a partir de agora.

 

Tipos de e-commerce

 

O campo das vendas pela internet é muito amplo. Por isso, foram criadas classificações para os diferentes tipos de negociação, de acordo com quem participa dela.

 

Business to Business (B2B)

Esse é o comércio on-line apenas entre empresas, fornecedoras e clientes. A principal característica do B2B é o grande volume por pedido. As exigências dessa modalidade de venda são maiores, já que os valores envolvidos geralmente são mais altos.

 

Business to Consumer (B2C)

A modalidade envolve os sites particulares de uma marca e também os marketplaces, os shopping centers virtuais. A sigla representa as transações de empresa para consumidor, ou seja, é o tradicional comércio varejista online.

O B2C é muito amplo, vendendo todo tipo de produto e serviço. Isso significa que a concorrência é grande, já que as lojas estão ao alcance de milhares de usuários, o que não aconteceria em um comércio físico. Por isso, atendimento ágil e de qualidade junto com boas promoções são a receita para o sucesso.

 

Consumer to Business (C2B)

Esse tipo de negociação é, na maioria das vezes, feita entre profissionais que prestam serviços a uma empresa. Freelancers, designers, tradutores, fotógrafos e até médicos vendem os seus trabalhos como autônomos ou como pessoa jurídica.

Entre os ambientes pelos quais os serviços são entregues estão sites particulares, marketplaces, plataformas profissionais e bancos de imagens.

 

Consumer to Consumer (C2C)

O melhor exemplo de C2C são os marketplaces famosos, como OLX e Mercado Livre. As vendas são feitas diretamente de consumidor para consumidor, muitas vezes de itens seminovos. A vantagem está nos preços diferenciados e na facilidade de pagamento. O Consumer to Consumer também está presente nas redes sociais, como o Facebook.

Outros padrões de comércio menos comuns, mas que também estão crescendo, são:

 

B2E (Business to Employee): negócios fechados de empresa para funcionários, geralmente envolvendo equipamentos, máquinas e até veículos;

B2G (Business to Government): vendas a partir de empresas privadas para o setor público, por meio de licitações e contratos, abrangendo uma infinidade de produtos e serviços. A relação também pode ser entendida como G2B (Government to Business), se referindo à compra de bens de empresas particulares por parte da administração pública.

D2C (Direct to Consumer): venda de produtos do fabricante diretamente para o consumidor final, sem a participação de empresas intermediárias. O benefício para o cliente está nos preços reduzidos.

 

Como implantar as vendas on-line?

 

Confira algumas dicas importantes para ingressar no mundo do e-commerce:

 

Defina um segmento do mercado

Antes de qualquer coisa, é importante escolher o nicho de mercado para atuar. Em palavras simples, definir o que você vai vender. Com essa informação, você já será capaz de definir um público alvo e determinar as estratégias para atingi-lo.

É necessário também preparar um diferencial da concorrência, que, como já dissemos, é bem alta no comércio digital. Pesquisar e descobrir os anseios dos clientes são ótimas ideias.

 

Aposte no marketing digital

Uma das melhores maneiras de atrair o seu público é usar técnicas de SEO (otimização para as ferramentas de busca, como o Google) para que você seja encontrado nas pesquisas. Acrescente conteúdo relevante ao seu site, como um blog.

As redes sociais também são formas poderosas de divulgar sua marca de forma gratuita, além de servirem como plataformas de venda. Você ainda tem a opção de investir em anúncios pagos, que aparecem em locais diversos, como o Google e o Youtube. 

Se o seu e-commerce ainda estiver dando os primeiros passos, busque a publicidade gratuita no Instagram ou outra rede social. Agora, quando sua marca já está estabelecida, é interessante pensar em formas de ampliar o seu alcance, talvez fazendo investimentos modestos em anúncios.

 

Escolha uma plataforma adequada

A plataforma de e-commerce que o lojista usa faz muita diferença para os consumidores. Prefira uma estrutura fácil de manusear, rápida e prática, porque isso influencia na experiência do usuário. 

Uma loja onde o cliente se sinta valorizado fará com que ele volte e recomende a marca. Mas o contrário também é verdadeiro. Se ele não tiver uma experiência positiva, o prejuízo é certo.

Outras Publicações

E-commerce: 8 tendências para ficar de olho em 2021
Os e-commerces fizeram muito sucesso em 2020 devido à pandemia de Covid-19. Mesmo com o fim da pandemia, tudo...
Leia Mais
A importância da fotografia de qualidade para o e-commerce
A fotografia de qualidade é muito importante para o sucesso do seu e-commerce, pois os usuários cada vez mai...
Leia Mais
A experiência do usuário como fator de ranqueamento
Para o bem dos usuários, desde 2021, o Google adicionou um novo critério para posicionar os sites nas págin...
Leia Mais
Principais tendências para o e-commerce para 2022
As lojas virtuais estão cada dia mais presentes na vida dos brasileiros. De fato, a tendência de crescimento...
Leia Mais
Como divulgar minha loja virtual?
Para uma loja física ter visitantes basta estar em um ponto comercial movimentado, bem localizado ou dentro d...
Leia Mais