Qual a diferença entre e-commerce e marketplace?

Postado por equipe mageshop, 03-08-2022 - 09:02

Qual a diferença entre e-commerce e marketplace?

A internet é uma ferramenta poderosa quando se trata de vendas. O alcance é impressionante e a tendência é sempre de crescimento, com cada vez mais pessoas buscando e conhecendo produtos e serviços. Uma das melhores maneiras de impulsionar os negócios é vender em canais diferentes. Isso dá agilidade e praticidade às compras. Afinal, a maioria dos consumidores procura a web exatamente por essas duas características. Mas pode ser que o novo empreendedor ainda não saiba como começar a oferecer seus produtos. É importante entender que existem duas formas diferentes, mas que podem se complementar: as lojas virtuais e os marketplaces. Neste artigo, você vai ficar sabendo quais são as diferenças entre esses dois modelos de negócios.

1

O que são os e-commerces?

 

Na verdade, e-commerce é toda a atividade relativa às compras e vendas de produtos e serviços por meio da internet. Elas podem ocorrer pelas lojas virtuais ou pelos marketplaces. Estes são os dois canais mais importantes do e-commerce.

Mas hoje em dia, o termo e-commerce tem um sentido mais amplo. Ele também pode se referir particularmente às lojas virtuais.São sites próprios em que um comerciante expõe e oferece produtos ou serviços da sua própria marca, de forma exclusiva. É um território pelo qual o lojista toma todas as decisões: administrativas, comerciais, de marketing e logísticas.

 

O que são os marketplaces?

 

O marketplace pode ser comparado a um shopping center virtual. Diferente da loja virtual, é uma plataforma onde vários comerciantes expõem os produtos e os vendem por meio de um sistema único de pagamentos.

Assim como acontece em um shopping center físico, o cliente pode escolher entre diversas marcas de um mesmo produto. O varejista trabalha lado a lado com a concorrência em um espaço compartilhado e padronizado, que permite poucas personalizações. O exemplo mais famoso de marketplace é o Mercado Livre.

 

Quais são as diferenças entre marketplaces e lojas virtuais?

 

Conheça mais a fundo as 8 principais diferenças entre as duas modalidades de comércio online. Acompanhe os tópicos.

 

Investimento

Marketplaces e lojas exigem investimentos financeiros diferentes. No primeiro, o custo é menor. Geralmente, basta se cadastrar em uma plataforma, ler e aceitar os termos de uso e configurar o seu espaço, adicionando fotos e descrições das suas mercadorias.

Para as lojas próprias, o lojista precisa desenvolver o site, personalizá-lo, acrescentar o conteúdo, gerenciar e fazer a manutenção. Isto demanda mais tempo, mas existem empresas qualificadas para esta tarefa, garantindo a qualidade na navegação e na experiência de compra.

 

Visibilidade e alcance

 

Os marketplaces são centros de compras normalmente visitados por uma infinidade de consumidores. Por isso, uma marca pode alcançar, inicialmente, uma visibilidade um tanto maior do que em uma loja virtual.

Porém, os e-commerces também podem atingir um bom volume de visitas, desde que seja desenvolvido usando técnicas adequadas de SEO (otimização para motores de busca), marketing digital e identidade visual.

Quanto ao alcance, o marketplace faz um bom papel: como está em uma plataforma grande, mais pessoas são atraídas. Assim como em um shopping físico, muitos usuários aparecem. Nem todos estão dispostos a comprar, mas às vezes acabam se convencendo e adquire um produto.

 

Leque de produtos

 

Como o marketplace agrupa um grande número de lojistas, a variedade de produtos é muito grande. Já o e-commerce não é assim. Embora talvez apresente produtos de marcas diferentes, só uma empresa vende ali. Assim, o mix de produtos é pouco variado e tende a se concentrar em um único nicho de mercado.

 

Logística

 

É uma parte muito importante do processo de compra. Em um marketplace, o esquema logístico é desenvolvido por empresas parceiras da plataforma. O despacho e as entregas ficam ágeis e otimizadas.

No e-commerce, você será o responsável pelas operações logísticas. Você pode fechar um convênio com uma transportadora ou usar o serviço IdCorreios, em que a empresa se cadastra, paga uma quantia fixa por mês e garante o envio para os clientes.

 

Marketing

 

O e-commerce, para alcançar bons resultados, deve contar com boas técnicas de SEO aplicadas. O próprio empresário é quem vai tomar as decisões sobre como o marketing será realizado.

Quem atua nos marketplaces não precisa tanto de ações próprias de marketing. Porque como dissemos, é apenas um espaço pertencente à plataforma que você está usando temporariamente. O vendedor conta com a visibilidade que a própria plataforma tem. Mas isso não quer dizer que a loja não tomará nenhuma atitude voltada para o marketing. A loja pode criar campanhas para divulgar sua marca no marketplace.

 

Pagamento

 

Os sistemas de pagamento usados tanto no marketplace quanto no site são seguros. Mas eles são diferentes de um modelo para outro. Nos sites particulares, isso fica a cargo do empresário. Ele decide quais serão as formas de pagamento disponíveis. É importante observar que os clientes se importam bastante com a diversidade nesse aspecto. Isso é tão importante que muitos clientes nunca mais voltam ao e-commerce pela burocracia na hora de pagar. Os marketplaces contam com o sistema de pagamentos da própria plataforma, em que é possível que o comprador parcele em diversas vezes a compra. 

 

Relação com o público

 

No marketplace, você não tem um contato direto com o cliente, porque a plataforma faz o intermédio de todas as ações. Já o e-commerce é diferente. Ele permite que você mantenha uma relação mais próxima com o consumidor, o que vai fazer com que ele volte a comprar do seu site.

 

Concorrência

 

O marketplace, ao englobar centenas de empresas, traz concorrência para a sua marca, razão pela qual você tem que se destacar. A loja virtual não permite que haja competição dentro dela, já que é exclusiva. Um e-commerce também traz uma aparência profissional, desenvolvendo a própria identidade.

 

Em resumo, se você estiver começando, é importante saber que ter um marketplace não exclui a necessidade de contar com um site próprio. É importante contar com os dois canais de venda. A marca pode ser encontrada através de um marketplace, que pode trazer um link que direciona o visitante até o e-commerce, onde ele também poderá efetuar a compra.

 

Outras Publicações

Magento 2: tudo o que você precisa saber sobre a plataforma
O Magento é uma plataforma que sempre cumpriu muito bem seu papel. Não é à toa que o sistema de desenvolvi...
Leia Mais
Integrações com a plataforma Magento: é possível?
A melhor e mais usada plataforma de e-commerce do mundo, Magento, foi lançada em 2008 pela Magento Community,...
Leia Mais
Recursos e funcionalidades essenciais para uma gestão eficiente no Magento
O Magento é uma plataforma poderosa que vai além da simples criação de lojas online. Sua riqueza de recurs...
Leia Mais
OpenMage: Suporte Continuado ao Magento 1
Uma pesquisa da empresa AheadWorks, especializada no desenvolvimento em Magento revelou que mais de 30% das lo...
Leia Mais
Por que usar a plataforma Magento para o seu e-commerce
Enquanto o WordPress é a plataforma referência para a criação de sites, o Magento é a plataforma referên...
Leia Mais